ICE aperta o cerco e prende procurados pela Justiça em seus países de origem

Prisões mostram que há um esforço das autoridades para mandar embora do país criminosos de todos os tipos

0
4629
Arinny Paola Vega Escalona e Yubsay Delimar Sandoval Sequera, foram deportadas para o México. Foto: ERO/Miami

Desde o início do mês de dezembro de 2022, agentes do Enforcement and Removal Operations (ERO) que é parte do U.S. Immigration and Customs Enforcement’s (ICE), tem prendido e colocado em processo de remoção dos Estados Unidos, imigrantes de diversas nacionalidades que são buscados pela Justiça dos seus países de origem, que estão escondidos nos Estados Unidos.

Os Estados Unidos é um dos destinos que criminosos do mundo todo que fogem da Justiça dos seus países e procuram se esconder mas via de regra, acabam expostos e têm os seus nomes incluídos na Difusão Vermelha da Interpol, que emite mandados de busca que dão legalidade às prisões que são feitas em qualquer lugar no mundo, onde sejam encontrados.

Desde 1º de dezembro as operações dos agentes federais aconteceram em todos os Estados Unidos, conforme a seguir.

  • Em 1º de dezembro o ERO prendeu em Baltimore, dois agressores sexuais em uma operação nacional;
  • Em 1º de dezembro, o ERO anunciou que Roberto Nunez Aguayo, 32 anos foi removido dos Estados Unidos em 28 de novembro, por ter sido condenado por homicídio no México;
  • Eric Hernandez Bonilla, 24 anos, foi deportado para El Salvador, onde era um dos 100 criminosos mais procurado;
  • O ERO de Newark divulgou em 5 de dezembro que uma operação nacional entre 22 de outubro e 4 de novembro, prendeu 138 criminosos estrangeiros, condenados por diversos crimes em seus países;
  • Uma operação do ERO que aconteceu em todo o país entre 28 de novembro e 5 de dezembro, prendeu 43 imigrantes que haviam sido removidos anteriormente do país. Nos Estados Unidos cometeram crimes de violência doméstica,, roubos, agressão sexual, posse e tráfico de drogas, tentativa de assassinato, DUI, roubo de identidade entre outros delitos;
  • Renato Tejada-Alvarez, 35 anos, foi preso em 1º de dezembro em Spring Valley, New York, por estupro cometido no Equador;
  • Marcelino Guan-Jimenez, 41 anos, condenado por estupro no México, foi preso em Los Angeles conforme comunicado do ERO em 8 de dezembro;
  • O brasileiro Eduardo Rocha dos Santos, 41 anos, condenado por tentntativa de assassinato, foi preso em Boston;
  • O mexicano Luciano Trejo Dominguez, 31 anos, um dos dez criminosos mais procurados na Califórnia foi preso em Santa Ana. Dominguez tem condenações estupro, tentativa de estupro e crime sexual agravado;
  • O salvadorenho Walter José Galeas Sanchez, quadrilheiro da guangue MS-13, foi preso en New York, por ter sido condenado em seu país por homícidio;
  • O ERO removeu em 19 de dezembro, o português Paulo Jorge Meneses Pacheco, 37 anos, para Portugal onde foi condenado por tráfico de drogas;
  • O afegani Tariq Mohammad Intezar, 25 anos foi removido por Estados Unidos por ter sido condenado por abuso sexual de uma criança de três anos;
  • O mexicano José Trinidad Montes Solorio foi deportado em 13 de dezembro por ter sido condenado no México por abuso sexual de menor;
  • Herbert Bonilla Garcia, 40 anos, condenado em El Salvador onde era um dos 100 mais procurados criminosos, foi preso em Manassas, Virgínia;
  • O brasileiro Jaconias Rosa Pereira, 50 anos, foi preso em Worcester, Massachusetts, pelo ERO, por ter sido condenado por ser mandante de um assassinato;
  • O hondurenho Juan José Meija Ramirez, 42 anos foi preso em Alexandria, Virgínia, por reentrada ilegal depois de ter sido removido anteriormente dos Estados Unidos; 
  • O chileno Luis Alberto Rojas Carreno, 34 anos, foi preso em Betesda, Maryland, por ter uma ordem de captura internacional pendente por ter assassinado um oficial de polícia no Chile e por tráfico internacional de drogas;
  • O peruano Giovani Danti Gamarra Puertas, 63 foi deportado no dia 29 de dezembro pelo ERO de San Diego por ter uma ordem de prisão pendente;
  • Darwin Murillo Morocho, 25 anos, foi deportado pelo ERO de Boston no dia 5 de janeiro para o Equador onde tem uma condenação por homicídio;
  • O equatoriano Manuel Zumba Mejia, 46 anos, procurado no seu país por violência contra uma criança, foi preso pelo ERO de New York;
  • O ERO de Atlanta, Geórgia, deportou no dia 4 de janeiro o mexicano Tivurcio Serrato Colorado, procurado no México por assassinato;
  • O ERO de Los Angeles prendeu no dia 3 de janeiro, Edwin Edgardo Ramos Alvarado, 39 anos, fugitivo da Justiça de El Salvador, onde membro da gangue MS-13; 
  • O ERO de Boston prendeu no dia 8 de janeiro, o brasileiro Deann Pires de Mello, fugitivo da Justiça;
  • O ERO de New York prendeu no dia 9 de janeiro, o albanês Gazmir Xhurxhi, procurado no seu país por fraude;
  • O ERO de Chicago removeu no dia 6, o mexicano Carlos J. Arreguin, 37 anos, procurado por assassinato no seu país;
  • O brasileiro Jefferson Ferreira de Almeida, 29 anos, foi preso em Malden, Massachusetts, por ter uma ordem de captura por tentativa de assassinato; 
  • O ERO de Miami deportou as mexicanas Arinny Paola Vega Escalona e Yubsay Delimar Sandoval Sequera, condenadas no seu país por tráfico humano e exploração sexual;
  • O ERO de El Paso, Texas, deportou os salvadorenhos Benito Arevalo Gochez Ruballo e Erika Beatriz Rivera Crespin por homicídio e tráfico humano;
  • O FBI e o ERO de San Diego, auxiliaram as autoridades espanholas a prender o neozelandês Michael James Pratts, procurado nos Estados Unidos onde tem pendentes 19 acusações de tráfico sexual, produção de pornografia infantil, tráfico sexual de menor e lavagem de dinheiro. Pratt estava na lista dos dez fugitivos mais procurados no FBI em 2002;
  • O mexicano José Montes Solorio, 35 anos, foi deportado pelo ERO de Detroit, por ser procurado por abuso sexual de menor em seu país.

No ano fiscal de 2022, o ERO prendeu 46.396 não cidadãos com antecedentes criminais; este grupo teve 198.498 acusações e condenações associadas e incluíram 21.531 crimes de agressão; 8.164 crimes e agressões sexuais; 5.554 crimes com armas; 1.501 crimes relacionados a homicídios; e 1.114 crimes de sequestro.

Para denunciar alguém que tenha cometido um crime no Brasil e está escondido nos Estados Unidos, ligue para 866.347-2423 ou preencha o formulário online.