Deus abençoe os Estados Unidos todos os dias

Uma nação de imigrantes que precisam ser tirados das sombras

1
193
Que os Estados Unidos continuem a ser uma nação acolhedora. Foto: Jehozadak Pereira/MNUSA

No dia 4 de Julho a América literalmente para mais uma vez para comemorar a sua data principal. O aparato de segurança nas ruas é imenso e mobiliza milhares de policiais, ao mesmo tempo que ruas e avenidas são fechadas para desfiles e paradas cívicas de gente orgulhosa com a sua nação.

Ao cair da noite a tradicional queima de fogos vai encantar e deslumbrar mais uma vez milhões de pessoas ao redor do país. Poderia parar por aí. Mas em contraste com tanta alegria e patriotismo dos americanos, milhões de pessoas padecem nas sombras sem a menor perspectiva de que haja solução em curto prazo para as suas aspirações. Em nome da segurança nacional – o que é um direito inquestionável dos Estados Unidos – uma lei que possibilitaria a legalização de estimados 13 milhões de indocumentados não existe por causa dos caprichos e da vontade de alguns parlamentares que não querem saber de aprovar nada que beneficie alguém.

Há um recrudescimento em direção as liberdades civis de imigrantes indocumentados, e isto já é notório em muitos lugares. 

Basta ver as notícias que vem da Flórida, com o aperto que Ron DeSantis, o arrogante e pretensioso governador republicano tem tentado impor para imigrantes indocumentados no seu estado. Aliás, a verborragia cafajeste do governador é toda direcionada ao recrudescimento e ao combate da imigração ilegal.

Esperto, DeSantis faz disto o preambulo da sua pré-campanha eleitoral, a exemplo do ex-presidente Donald Trump, outro que faz da imigração indocumentada uma plataforma eleitoral.

E o pior, é que mesmo com tantas vagas de empregos sobrando, tanto um – DeSantis, quanto outro – Trump, querem mandar embora quem não tem documentos. Nunca houve tantas pessoas desempregadas e jamais teve tantos candidatos que não podem trabalhar e tantas empresas com posições de trabalho em aberto sem poder contratar. 

Certamente os tribunais federais tratarão de colocá-los nos seus devidos lugares. Mas o que é estranho mesmo, é a simpatia que muitos imigrantes que já tem suas situações imigratórias resolvidas, apoiarem as propostas insanas e malucas desta gente. Há de se ressaltar que os Estados Unidos tem sim o direito de mandar embora quem comete crimes e delitos, e por isso é preciso separar os honestos, os pais de família e aqueles que se dedicam à criminalidade. 

A razão é simples – os Estados Unidos estão sim, preocupados com a questão da segurança nacional, o que é um assunto de vital importância, ao passo que os maiores penalizados são inofensivos trabalhadores cuja única preocupação é ganhar o pão de cada dia, além da busca por dar a família um padrão de vida melhor do que aquele que eventualmente teriam nos seus países de origem. Dizem também que o imigrante tira o emprego do americano. Tira nada.

Mas mesmo com tanta gritaria contra os imigrantes, os Estados Unidos são sim uma nação acolhedora na qual sempre cabe mais gente que queira trabalhar honestamente. Gente que não tem culpa alguma mas que acaba sendo criminalizada por propostas indecentes.

Cabe a todos nós imigrantes de diversas parte do mundo contribuir para progresso deste país gigantesco e próspero e pedir a Deus que abençoe a América no Independence Day e que tenhamos paz todos os dias.

É o mínimo que podemos fazer. Além de trabalhar mais e pagar os nossos impostos em dia…

Jehozadak Pereira

Jehozadak Pereira é jornalista profissional e foi editor da Liberdade Magazine, da Refletir Magazine, do RefletirNews, dos jornais A Notícia e Metropolitan, do JS News e jornalista da Rede ABR - WSRO 650 AM. Foi articulista e editorialista do National Brazilian Newspaper, de Newark, New Jersey. É detentor de prêmios importantes tais como o Brazilian Press Awards e NEENA - New England Ethnic Newswire Award entre outros

1 COMMENT

Comments are closed.