-9.5 F
Boston
sábado, fevereiro 4, 2023
InícioEUAA história do Labor Day

A história do Labor Day

Data:

Imigração

A necessidade urgente de uma reforma de imigração

Um sistema falido e falho que não tem data para ser reformado

Border Patrol prende brasileiros que chegaram ilegalmente pelo mar em Fort Lauderdale

Dois brasileiros estão entre os presos pela Border Patrol em Fort Lauderdale, Flórida

ICE aperta o cerco e prende procurados pela Justiça em seus países de origem

Prisões mostram que há um esforço das autoridades para mandar embora do país criminosos de todos os tipos

Mais um brasileiro fugitivo da Justiça é preso em Massachusetts

Sabe de alguém que cometeu crime no Brasil e está escondido nos EUA? Denuncie...

ICE prende homicida brasileiro foragido da Justiça

Brasileiro chegou aos Estados Unidos em 2019 e tem carta de deportação pendente
ANUNCIE AQUI

Na segunda-feira, 5, os Estados Unidos celebram o Labor Day, e há muito ainda a se conquistar, embora atualmente sobre vagas e falte trabalhadores, e mesmo assim é só olhar a nossa volta para ver que o resultado do esforço de milhões de trabalhadores está de fato em todos os lugares, tirando muitas estradas e linhas de trem, que foram abertas usando o trabalho de prisioneiros, que em troca de uma comutação da pena a que haviam sido condenados.

Por outro lado, sempre houve a pressão de patrões para que os empregados trabalhassem cada vez, ganhando sempre menos. Daí as lutas da classe operária em busca de um salário e benefícios cada vez maiores.

No entanto, há ainda falta de respeito para com trabalhadores, principalmente aqueles que são vítimas do roubo de salários e verbas trabalhistas. As autoridades processam os maus patrões e os obriga a pagar o que é devido aos trabalhadores, além de impor sanções e multas. Mas deve-se ressaltar que é lamentável que tenha que ser assim.

Para se ter uma idéia do quanto ganha um empresário, o salário de um operário é pago no primeiro dia de trabalho dele no mês, isto não significa que o empregado vai trabalhar de graça o restante do mês.  

Deve-se levar em conta que um empresário têm encargos a pagar a cada final de mês, tem que amortizar o seu investimento as vezes durante décadas, sem contar que a cada espaço de tempo tem de modernizar, trocar seus equipamentos e maquinários, investir em desenvolvimento de novos produtos e em pesquisa, logo, o salário pago ao empregado representa uma parcela muito pequena diante de todo o que tem de se pagar.

Se de um lado sempre haverá empregados querendo ganhar mais, do outro lado estarão empresários querendo pagar menos, e para que se atingisse um equilíbrio ao longo dos anos muitas barreiras precisaram ser derrubadas, a custo de muita lágrima, sangue e luta.

No fim do século 18 a classe trabalhadora em Chicago exigia dos patrões redução da jornada de trabalho para oito horas; aumento de salário e melhores condições de trabalho. 

Não foram atendidos e saíram as ruas para protestar e foram reprimidos com violência pela polícia. Estes protestos aconteceram no dia 1º de maio de 1886. No dia cinco de maio eles voltaram às ruas e foram novamente reprimidos. Oito líderes do movimento foram presos, quatro operários foram mortos e outros três condenados a prisão perpétua.

A opinião pública mundial pressionou as autoridades americanas e um novo julgamento foi realizado em 1888, e os três condenados tiveram as suas sentenças canceladas e foram soltos.

No ano seguinte o Congresso Operário Internacional, que se reuniu em Paris, decretou o 1º de maio, como o Dia Internacional dos Trabalhadores, sobretudo, para representar um dia de luta e de luto, e em 1890, os trabalhadores americanos conquistaram a tão sonhada jornada de trabalho de oito horas diárias. Para fugir da sombra do comunismo na Guerra Fria, o governo determinou que nos Estados Unidos o dia do trabalho – Labor Day – fosse comemorado no dia três de setembro, data que é celebrada na primeira segunda-feira do mês de setembro.

Hoje o operariado e os trabalhadores americanos têm os seus interesses representados pelos sindicatos e entidades que tratam de arrancar do patronato melhores condições de trabalho, benefícios, bons salários e planos de aposentadoria cada vez melhores.

Um marco na história do sindicalismo americano é Jimmy Hoffa, que decidiu enfrentar o forte capitalismo e tirou dos patrões vantagens jamais vistas na história do trabalhismo nos Estados Unidos para os seus caminhoneiros. No entanto, os métodos de Hoffa eram pouco ortodoxos e ao mesmo tempo em que ele tinha o respeito e a adoração da sua classe, era odiado e detestado na mesma proporção pelo patronato. Hoffa foi inquirido pela justiça, condenado e cumpriu pena e anos depois sumiu misteriosamente junto com um assistente, mas deixou o legado de ter construído o maior sindicato do mundo, baseado em Detroit, o berço da indústria automobilística na América.

Hoje, o trabalhador americano é representado e assistido em todas as categorias e é remunerado de acordo com a importância das funções desempenhadas. O contraponto da luta de classes nunca vai ter um fim, pois se de um lado sempre haverá empregados querendo ganhar mais, do outro há empregadores querendo lucrar mais e mais, ainda que as custas de quem trabalha.

Aos brasileiros que moram nos Estados Unidos há ainda um longo caminho a seguir e a comunidade tenta achar o seu espaço na sociedade e cada dia isto está mais próximo de acontecer. Informalmente somos mais de um milhão de pessoas que juntos podem fazer a diferença, mas fragmentados jamais chegaremos onde nossas pretensões nos levar. Que nesta segunda-feira, no Labor Day esta seja a nossa reflexão…

Jehozadak Pereira
Jehozadak Pereira
Jehozadak Pereira é jornalista profissional e foi editor da Liberdade Magazine, da Refletir Magazine, do RefletirNews, dos jornais A Notícia e Metropolitan, do JS News e jornalista da Rede ABR - WSRO 650 AM. Foi articulista e editorialista do National Brazilian Newspaper, de Newark, New Jersey. É detentor de prêmios importantes tais como o Brazilian Press Awards e NEENA - New England Ethnic Newswire Award entre outros

Tempo Agora

Boston
céu pouco nublado
-9.5 ° F
-7.3 °
-12.4 °
38 %
7mph
20 %
sáb
17 °
dom
44 °
seg
46 °
ter
40 °
qua
48 °

Outras Notícias