Chefe de quadrilha que fraudava casamentos é condenada

Quadrilha fraudou cerca de 500 casamentos entre cidadãos americanos e pessoas do Vietnã

0
203
Foto usada como evidência judicial de um dos casamentos fraudulentos

Um corpo de jurados do Southern District of Texas, condenou Ashley Yen Nguyen, 58 anos, tida como chefe de uma das maiores conspirações de fraude matrimonial na história dos Estados Unidos, a dez anos de prisão, na terça-feira, 27, após uma investigação do Homeland Security Investigations (HSI) de Houston, do U.S. Citizenship and Immigration Services (USCIS) e do Internal Revenue Service-Investigação Criminal (IRS-CI).

Ashley Yen Nguyen, também foi condenada a três anos de liberdade condicional e a pagar US$ 334.605 em multas. Nguyen se declarou culpada das acusações em 5 de novembro de 2020, e como parte de seu acordo, ela admitiu conspirar para se envolver em fraude de casamento, fraude postal, fraude de imigração, lavagem de dinheiro e informações falsas em uma declaração de imposto.

De acordo com Mark Dawson, agente especial do HSI que investigou o caso, “Por mais de quatro anos, Ashley arrecadou milhões operando uma das maiores conspirações de fraude de casamento na história dos Estados Unidos. Os casamentos falsos e os benefícios de imigração impróprios que foram fraudulentamente garantidos por essa conspiração criminosa desperdiçaram inúmeros recursos federais, atrasaram um número desconhecido de casamentos legítimos entre estrangeiros e cidadãos americanos e ameaçaram a segurança nacional ao permitir que os indivíduos permanecessem no país por meio de fraude”.

Ashley Nguyen administrou o esquema de fraude de casamentos na área do sudoeste de Houston, mas tinha sócios operando em todo o Estado do Texas e no Vietnã. A organização criminosa foi responsável por organizar mais de 500 casamentos simulados em troca de quantias substanciais de dinheiro apenas para o beneficiário estrangeiro obter benefícios de imigração. A organização criminosa comandada por Ashley arrecadou mais de US$ 15 milhões em receitas ilícitas com o esquema fraudulento.

Na audiência, o tribunal ouviu que cidadãos vietnamitas pagaram para a quadrilha chefiada Nguyen entre US$ 50 mil a US$ 70 mil para se casar com uma esposa ou marido americano para obter fraudulentamente o status de residente permanente.

Ashley Nguyen pagava cerca de US$ 200 para os agenciadores e recrutadores dos falsos processos de imigração, também prometeu aos cidadãos americanos que concordaram em participar da fraude, entre US$ 15 mil e US$ 20 mil parcelas, embora poucos tenham recebido o valor combinado.

Nguyen usou mais de uma dúzia de recrutadores de cônjuges de cidadãos americanos nas proximidades de Houston e anunciou nas mídias sociais sobre o esquema no Vietnã. Muitos dos cidadãos americanos tinham extensas histórias criminais, associações de gangues ou eram viciados em drogas.

Durante o julgamento Nguyen reconheceu que os cônjuges falsos não moravam e tampouco pretendiam morar juntos, contrariando os documentos e declarações apresentados às autoridades federais. Por instrução dela, os casais se encontraram apenas brevemente, antes de obterem licenças de casamento. Para preparar os falsos casais para suas entrevistas com oficiais de imigração, Nguyen e sua quadrilha montaram histórias fabricados que os falsos casais deveriam estudar e decorar detalhes para parecer que estavam vivendo juntos e familiarizados com os hábitos diários um do outro.

O tribunal decidiu que Nguyen utilizou o marketing de massa para facilitar o esquema, anunciando-o por meio de recrutadores e do Facebook, também alegou ser um advogada que tinha contatos no USCIS para fazer o esquema parecer legítimo. Nguyen costumava fornecer um álbum de casamento falso para ajudar as pessoas a obter o status de residente permanente – green card.

Ashley Nguyen comprou várias propriedades com o dinheiro obtido com seus crimes, e usou como parte do esquema para coletar, distribuir os lucros e/ou organizar algumas das residências para os momentos em que as autoridades indicassem que fariam uma inspeção no local. As casas foram configuradas para parecer que pertenciam aos falsos casais.

A própria Ashley Nguyen também entrou nos Estados Unidos através de um casamento fraudulento e está sob custódia do Bureau of Prisons, até que seja transferida para uma prisão federal, onde cumprirá a sua pena.